domingo, 20 de abril de 2008

A VERDADEIRA ORIGEM DO HOMEM - IV

Temendo o pior, o altos anunnaki, os "Elohin", da Bíblia, decidiram cercear a liberdade dos humanos, os "expulsando "do Éden. ENKI, o grande cientista, a "serpente iniciadora", que tinha como símbolo de seu ofício o Caduceu (o símbolo da medicina moderna, o cajado com duas serpentes entrelaçadas, representando dois filamentos de DNA que foi trazido para o Ocidente da Suméria) foi aquele que instruiu o "Adamu", a raça primordial. Evidentemente o Planeta Terra se tornou um lar para os anunnaki. Por milhares de anos, esses gigantes governaram os homens. Mesmo adaptados ao planeta, o relógio biológico anunnaki permanecia funcionando como em seu mundo natal.

Um ciclo de 3.600 anos terrestres equivaliam a um ano para esses seres e a sua incrível longevidade fazia com que parecessem imortais aos olhos humanos. "Deuses imortais". Contudo, os Senhores da Terra, os anunnaki, desenvolveram inevitáveis e estreitos laços afetivos com os humanos. Os contatos sexuais com as fêmeas humanas, de agradável aparência física, se tornaram freqüentes. O resultado desse contato foi o surgimento de uma raça de humanos gigantes, híbridos. Os Nefilins, os anjos caídos!

Esse comportamento "promíscuo" causou o descontentamento do patriarca ANU. Moisés, herdeiro direto do conhecimento sumério descreveu: - "Quando os filhos dos deuses viram que as filhas dos homens eram bonitas, as tomaram como esposas". Somado à isso, as disputas pessoais, entre os clãs anunnaki, devido às divisões hierárquicas e territoriais levaram o supremo governante ANU, tomado pela ira, a uma decisão terrível. - "Viu o Senhor que era grande a maldade do homem na terra, e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era má continuamente. Então arrependeu-se o Senhor de haver feito o homem na terra, e isso lhe pesou no coração. E disse o Senhor: Destruirei da face da terra o homem que criei, tanto o homem como o animal, os répteis e as aves do céu; porque me arrependo de os haver feito." Gênesis 6:1,7.

ANU, sabendo que seu planeta natal estava se aproximando da órbita da Terra e que haveria um poderoso cataclisma, ordenou que todos os Anunnaki abandonassem a Terra e deixassem a humanidade perecer. ENKI, chamado pelos mesopotâmios de "Iahweh" (Jeová), quebrou o código de fidelidade Anunnaki e designou, secretamente, Ziusudra, um humano de sua confiança para construir um veículo aquático submergível, capaz de suportar a violência das águas da Terra, agitadas pela força gravitacional de Nibiru, durante sua passagem. ENKI, forneceu tecnologia e o auxiliou no projeto, ordenando que ele reunisse sua família e um seleto grupo de humanos mais uma variedade de diferentes espécies animais para embarcarem no veículo, a fim de sobreviverem ao cataclisma e reconstruírem a civilização.

Ziusudra, o Noé bíblico, e seu grupo tiveram êxito, mas não o resto da humanidade. Os Anunnaki assistiram ao cataclisma de suas naves, estacionadas na órbita da Terra e sentiram dor e tristeza pelo socorro negado à humanidade. Após o evento, ANU decidiu retornar à Terra para reconstruir as bases anunnaki e ficou surpreso ao constatar que havia sobreviventes e que estes foram ajudados pelo seu filho ENKI. Novamente ficou tomado pela ira, mas dessa vez foi convencido por ENKI que os sobreviventes seriam úteis na reconstrução das bases. Em 10.500 a.C., logo após o dilúvio, três regiões foram concedidas aos filhos de Noé. Enquanto isso, ENKI recuperava o Vale do Nilo. A Península do Sinai ficou nas mãos dos annunaki, pois eles pretendiam construir um espaço-porto para substituir àquele destruído pelo dilúvio. Um novo centro de controle é instalado no Monte Moriá, futura Jerusalém.

Durante a recolonização anunnaki, os conflitos de interesses entre os descendentes de ENLIL e ENKI se tornavam cada vez mais agressivos. Por volta de 8.700 a.C. os primeiros venceram uma disputa, apoderaram-se do Monte Sinai e esvaziaram a grande pirâmide de seus equipamentos. Prenúncio de mais e mais conflitos. Quase 5 mil anos mais tarde, em 3.760 a.C., a humanidade cresce e assume o governo das cidades. A civilização suméria floresce na Mesopotâmia, com grande esplendor. Em 3.450 a.C., a Babilônia torna-se o portão dos deuses, ou seja, um local para pouso e contato entre os annunaki extraterrestres e o homem.

Nessa época, acontece o incidente da Torre de Babel. Um grupo de humanos se apoderou clandestinamente de uma espaçonave e contrariando as ordens dos annunaki, tentaram voar ao espaço, mas foram impedidos. No ano de 3.100 a.C., começa o governo dos faraós no Egito. Em 2.371 a.C., inicia o Império Acadiano, liderado pelo rei Acad Terah nasceu em Nippur, cidade fundada pelos annunaki, em 2.193 a.C. Em 2.123 a.C., Após muitas guerras envolvendo humanos e alienígenas, ANU e a alta cúpula anunnaki novamente decidiram por destruir a civilização terrena e desta vez utilizando armas. Revoltados com a insubordinação dos homens, ativaram uma terrível arsenal nuclear em 2.023 a.C. que destruiu a Suméria, Babilônia e demais cidades da região.

Possivelmente nesse período, ocorreu também a ruína de Sodoma e Gomorra. - "Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se prostituído como aqueles anjos, e ido após outra carne, foram postas como exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno." (Judas 1:7) As civilizações hebraicas, fizeram várias citações bíblicas aos Anunnaki. E seus descendentes foram chamados de "Nefilins, os anjos caídos! Aqueles que desceram dos céus para cruzarem com as mulheres dos homens!" A descoberta de magníficos fósseis humanos gigantescos, com o dobro, as vezes o triplo, do tamanho das espécies congêneres atuais inquestionavelmente fortalecem a "teoria da origem superior das espécies", confirmando os textos sumérios. Achados arqueológicos de milhares de anos, como ossos, pegadas fossilizadas e até múmias, são provas irrefutáveis de que homens gigantescos viveram há milhares e milhares de anos, no planeta e deixaram sua herança genética na raça humana.

Um comentário:

o_arrebatado21 disse...

Muito bom seu ponto de vista, meio fantasioso em algumas partes, mas se formos comparar sua história com os escritos bíblicos, há uma semelhança muito grande, pois a bíblia afirma existir gigantes como de fato você já sabe, mas se cremos em Deus e sabemos que ele não habita neste planeta, logo ele é extraterrestre,e claro que ele é conhecedor de toda ciência, e de acorodo com alguns livros de uma Escritora chamada Ellen G. White, os homens daquela época eram muito grandes, aproximadamente 4 metros de altura o que justificaria a foto que você mostrou, isso não é novidade para os cristãos. Para concluir sua história parece uma versão da história bíblica, o que se justifica pois algumas lacunas ficam sobre essas histórias já que faz tanto tempo que aconteceram, e formam passadas de pai para filho, então é comum que algumas coisas se "modifiquem" ao longo dos anos. Sua história faz muito sentido se compararmos a história bíblica registrada em gênesis e em alguns outros livros da Bíblia. (Leia Patriarcas e Profetas de Ellen G. White, leia também profetas e Reis, lá possui um belo material para iluminar algumas coisas que você precisa saber