sexta-feira, 30 de março de 2012

A MAIOR MENTIRA DE NOSSA HISTÓRIA


Dia 1º de abril. É este dia que pretendemos lembrar aqui. Eis a data negra da história brasileira forjada nos quartéis e por civis locupletados com o capitalismo internacional e com o imperialismo ianque. Esta é uma data que jamais deve ser esquecida. É uma data verdadeira onde aconteceu algo horrendamente verdadeiro, criado por pessoas verdadeiras que levaram a nação brasileira durante mais de 20 anos a ver seus patriotas, jovens e velhos, homens e mulheres, serem perseguidos, assassinados, torturados e vigiados pelos usurpadores do poder democrático. A mentira era o que eles pregavam. Mentiam quando diziam defender os ideais democráticos. Falsearam até a data do golpe, repuxando-a para o 31 de Março no intuito de iludir a população.

Primeiro de Abril não pode ser relegado ao esquecimento. Tudo aquilo que estamos a sofrer na pele, hoje, tem ligação direta com o golpe militar que extinguiu nossa engatinhante democracia da época e com os 21 anos da ditadura dos homens fardados que prenderam, arrebentaram, mataram e torturaram. E enquanto torturavam e assassinavam os idealistas, apenas porque estes sonhavam com um país democrático, os títeres civis e os castrenses buscavam agradar às corporações estrangeiras, estas sim as grandes beneficiadas com o golpe.

A sociedade brasileira foi enganada durante anos pelos militares e civis golpistas. Eles falseavam tudo, fingiam e divulgavam que nada estava acontecendo de ruim no país e para isso tiveram a mídia como cúmplice. Tal mídia, quando não se calava por conta própria ou ficava ao lado dos títeres, era abafada pela censura. Se hoje vivemos em um país mais democrático, o mérito todo é daqueles que lutaram pela legalidade, muitos sendo assassinados, torturados e perseguidos nos anos de chumbo iniciados em 1º de abril de 1964. Portanto, essa história nunca deve ser esquecida. Temos de repassá-la para nossos filhos e estes para nossos netos. Eles devem saber de tudo para que tal fato não mais se repita e que possamos construir nossa história futura conhecendo bem o nosso passado.

Não custa nada, para finalizar, citar aqui a frase dita por Hannah Arendt: "Não há esperança de sobrevivência humana sem homens dispostos a dizer o que acontece...".

quarta-feira, 28 de março de 2012

A LÓGICA DA REPRESSÃO E DO CRIME

Hoje, 28 de março de 2012, marcamos no calendário 44 anos que a polícia da ditadura militar assassinou o estudante Edson Luís, na cidade do Rio de Janeiro. Como ainda acontece nas polícias militares de todo o país a lógica da repressão e do crime ainda é um fato. Nesse dia a Polícia Militar do Rio de Janeiro não atuou como força pública.  Agiu como um bando de assassinos. Como bem salientou o Correio da Manhã, do Rio de Janeiro em sua edição de 29 de março de 1968, a PM entrou em cena atacando “jovens desarmados, atirando a esmo, ensandecida pelo desejo de oferecer à cidade apenas mais um festival de sangue e morte. A Polícia Militar conseguiu coroar, com esse assassinato (...) a sua ação, inspirada na violência e só na violência”. Pouco mudou nos dias de hoje. Para honrar a memória de Edson Luís temos o dever de lutar por uma nova concepção de segurança pública e não esta que continua a se concentrar nos ditames da ditadura militar.  
Leiam mais em: http://josekuller.wordpress.com/15-edson-luis-ano-1968/

quinta-feira, 22 de março de 2012

A DITADURA DO POLITICAMENTE CORRETO

O politicamente correto é uma tremenda burrice porque condiciona todo mundo a pensar e a agir de uma forma só. A forma é e será aquela que os defensores dessa burrice consideram correta, como se eles (os defensores) fossem os donos da verdade. Pelo pensamento politicamente correto mata-se a crítica e torna a oposição a algo ou a alguém como algo abominável. Burrice que enche saco e planta raízes. Seus defensores querem que todo mundo faça parte de um consenso (o deles) e que imponha a si mesmo votos de silêncio. Este é um novo tipo de condicionamento ditatorial.

Assim, o futuro da liberdade de pensamento do homem está em jogo. A imposição de um ponto de vista particular para tornar-se única verdade universal é uma estupidez das grandes. E obrigar todo mundo a compartilhar essa estupidez fere a liberdade de pensamento. Resumindo, viver seguindo o politicamente correto é viver de rabo preso a uma ideia única e não possuir ideias próprias e voz própria. Tem algo chamado de patrulhamento. Antes era patrulhamento ideológico. Hoje mudou muito pouco sua pompa. É a patrulha do politicamente correto. É o  AI-5 dos dias atuais. Por essa cartilha todo mundo tem de falar como manda o manual.

Uma grande merda! E não venham reclamar de mim por escrever assim! Repito: é uma grande MERDA! Pois ninguém tem o direito de policiar as ideias de ninguém. Abaixo a ditadura do pensamento! E abaixo o "politicamente correto" também! Vejam no diálogo abaixo, como um patrulhador do politicamente correto se comporta:

- Boa tarde, senhor! Por favor, preencha esta ficha!

- Não vai dar! Você me chamou de senhor! Você me prejulgou. Você me chamou de idoso. E mostrou nas entrelinhas que eu sou uma pessoa com status social superior ao seu! Assim não dá!

- Peço desculpas! Quis apenas ser respeitoso!

- Rapaz, eu estou aqui para fazer uma compra. Não estou aqui procurando respeito. Quem gosta desse tipo de tratamento é burguês metido a nobre.

- Então como devo chamá-lo?

- De cidadão, de camarada, de companheiro, qualquer coisa assim! E, olhe, aqui nesta sua ficha esta incorreção que eu tenho de preencher. No item “qual o seu sexo” constam apenas duas alternativas.

- E existe outra alternativa, cidadão?

- Muitas! Aqui devia ter apenas "qual a sua orientação sexual" com um espaço em branco para ser preenchido.

- Ai, ai ai, a coisa está ficando preta!

- Cuidado, rapaz, você não deve usar essa expressão. Essa expressão define um quadro confuso, pois alude aos negros. Perdão, agora eles são afrodescendentes. Essa expressão "a coisa está ficando preta” é uma expressão racista.

- Ai, ai, ai, meu Deus!

- Fique calmo! O que você acabou de exclamar agora também é politicamente incorreto. Tem muita gente no mundo que acredita em outro deus. Como outros que cultuam vários deuses e também os que não acreditam em deus nenhum. Por outro lado, por que o seu deus atenderia particularmente ao seu chamado?

- Com licença, cidadão. Mas não posso ficar aqui conversando. Tenho de trabalhar.

- O que você quis dizer com isso? Que eu não tenho trabalho? Só porque estou vestido como uma pessoa mais jovem, como um estudante?

O mundo está hipócrita mesmo. E hipócrita demais. E intolerante! O politicamente correto é simplesmente uma merda foda inventada por homens e mulheres almofadinhas hipócritas. E quem segue o politicamente correto são homens e mulheres almofadinhas hipócritas também. Podem me chamar de politicamente incorreto. Será até um elogio que me fazem. Antes de tudo eu sou livre! E não tolero os intolerantes e consensos hipócritas. Dentro desses consensos criaram uma cartilhinha com aproximadamente 96 palavras consideradas pejorativas, entre elas: beata, comunista, funcionário público, preto, anão, bicha, viado. Delírio totalitário! Estão querendo reinventar o idioma português expurgando termos consagrados e dificultando o trabalho dos escritores no uso de metáforas. Será que vão processar Chico Buarque porque na música “Meu Caro Amigo” ele diz a um exilado que aqui “a coisa está preta”?

Pelo visto, chamar um político de ladrão é politicamente incorreto, pois ladrão é o indivíduo pobre que rouba. Político deve ser chamado de corrupto; Maconheiro é um termo ofensivo a quem é usuário de maconha, ou para quem defende a legalização da mesma; Palhaço é um termo que ofende a dignidade do profissional que trabalha no circo, até que faz sentido, se comparado com os outros casos citados; Barbeiro é ofensivo ao profissional da barbearia. Aliás, por que será que o motorista ruim é chamado de barbeiro? Sapatão é um termo depreciativo às mulheres homossexuais, o termo correto a se usar deve ser lésbica; Viado é um termo que ofende os animais chamados veados. O termo correto deve ser gay.

Pelo que vejo e conheço neste mundo atual regido pelo patrulhamento do politicamente correto é uma troca de palavras simples e curtas por expressões longas e até mesmo complicadas para pronunciar. Portanto, a palavra negro, tão simples e de apenas duas sílabas, é substituída por afro-descendente com seis sílabas e a palavra deficiente é trocada por portador de necessidades especiais. Claro que defendo a existência de razões corretas para não usar palavras carregadas de preconceito, mas... Considero que a solução definitiva é deixar de enxergar preconceito nas palavras. Por que não chamar de negro alguém que tem a pele negra? Por que não chamar de deficiente alguém com deficiência visual, auditiva etc? O preconceito não está na palavra, mas na cabeça de quem escuta a palavra.

Sinceramente, esse negócio de politicamente correto é algo utilizado pelas oligarquias que dominam o planeta com a intenção de desorganizar os países. Obrigando por lei e por cartilhas a que a população siga um pensamento único essas oligarquias corroem as bases conceituais tradicionais dos países menos poderosos, os periféricos (e são esses que possuem grandes riquezas naturais) para, esfacelá-los cultural, ideológica, política, social e moralmente. Dessa forma, as oligarquias conseguem desenvolver o chamado “novo colonialismo”, mantendo consigo o poder econômico e cultural do mundo.

Portanto, como bem salientou o jornalista português Henrique Raposo, no jornal Expresso de Lisboa (23/04/2010),O politicamente correto não é uma ideologia coletiva. É, isso sim, uma crença privada. Mas, atenção, é uma crença privada partilhada, em silêncio, por milhões. É um manual de comportamento e de policiamento do pensamento e do vocabulário”.

terça-feira, 13 de março de 2012

A DITADURA DA PALAVRA DE DEUS

Nada melhor do que a transparência. Nada melhor que a liberdade. Nada pior do que uma máfia. Nada pior do que uma ditadura mafiosa. E, nos dias de hoje, nada pior do que a máfia evangélica que pretende impor um novo pensamento único ao povo brasileiro. Eles começam a iludir aquelas pessoas que não têm pensamento: os ingênuos e os iletrados. E também conseguem alcançar as pessoas que têm medo de pensar por elas mesmas.

Escondidas por trás do nome de um deus, com imenso poder financeiro e recebendo apoio até do Governo Federal (algo que não pode acontecer em um sistema laico como manda a Constituição Brasileira) essas sociedades evangélicas são o mais novo germe ideológico da direita radical, que sob o nome Igreja de Deus propagam ideias tendenciosas com o único fito de açambarcar a qualquer momento o poder.

O pior de tudo é que não é apenas uma igreja, mas um grupo de igrejas. Impossível acreditar que um governo comandado por uma mulher que passou horrores durante a ditadura militar fique de braço dado com um cara chamado Marcelo Crivella e outros da mesma espécie. Está na cara que a máfia evangélica está criando uma ditadura da palavra de um deus no país, que pelo visto será muito pior do que a ditadura militar. Abra os olhos enquanto é tempo Dilma Rousseff!

Quantas empresas para lavar dinheiro essas igrejas fazem atuar no Brasil e fora do Brasil? E o mais espantoso é a paralisia da Justiça brasileira que não toma uma atitude séria no que diz respeito aos crimes cometidos pelos “bispos” dessas igrejas. A máfia do sr. Edir Macedo conseguiu, nos últimos anos, locupletar-se com mais de R$ 8 bilhões. E ainda possui uma rede televisiva que propaga aos quatro cantos do país esse perigoso fanatismo religioso. Toda essa dinheirama é verdadeira, pois as apurações desses crimes foram feitas por instituições de credibilidade como o Ministério Público e a Polícia Federal.

Mas pelo visto a tramóia é muito mais extensa. A tal Igreja Universal do Reino de Deus quer o país para ela. Quer acabar com o Estado Democrático de Direito. Agora possui até partidos políticos alugados no Congresso Nacional e uma Frente Parlamentar Evangélica cujo objetivo é apenas fazer lavagem cerebral na população que não gosta de raciocinar. Manipula o Executivo e manipula o Congresso.

E tem coisa ainda mais perigosa que essa. Eles querem a todo custo aprovar leis nos Estados tornando o ensino religioso obrigatório. Isso é anticonstitucional. Isso ataca o principio maior da liberdade de crença, inclusive o direito de ser ateu. Além do mais, essa máfia pretende tornar crime legal as práticas afro, como o candomblé etc.

Temos de ficar em estado de alerta máximo. Não podemos "dormir no ponto" e deixar que essa máfia evangélica tome conta do país. Lembremos 1964. Lembremos as torturas, Lembremos os desaparecimentos. Lembremos a intolerância política e contra a liberdade de pensamento. Homem e mulher que falam em nome de um deus são mais perigosos do que fardas verdes-olivas. Fiquemos cientes que a pretensão dessas seitas é de imprensar o homem livre contra a parede e impor a crença no deus deles para dominar os pobres de espírito.

Infelizmente, os fanáticos religiosos acreditam que todos devem ser obrigados a aceitar a crença deles e que eles têm o direito de nos converter. Isso é uma falta de respeito com aqueles que não querem nem pretendem aceitar a religião deles. Pelo sim e pelo não fica o alerta: do jeito que anda a carruagem eles estão tentando fazer o Brasil se transformar em um país controlado pelas igrejas evangélicas do mesmo jeito que os países árabes são controlados pelo Islã.

Só para exemplificar: uma coisa vergonhosa teve palco na Câmara dos Deputados. Uma deputada de nome Lauriete transformou a sessão parlamentar em um culto. Realmente, a cada dia que passa os evangélicos cometem crimes contra a Carta Magna e fica por isso mesmo. Nenhum deputado foi republicano o suficiente para argumentar que o Brasil é um estado laico e que não cabe ao Congresso nacional comemorar o aniversário de qualquer igreja com um culto dentro da Câmara. Muito menos transformar a casa, que deveria ser do povo, na casa dos seguidores de uma religião!

NATUREZA


Na fase imatura
A alma perde o tempo
Da espera
Quer ser correnteza
À esteira do mar.

Na maturidade
A alma busca o freio
Do tempo
E conta as estrelas
Perdidas sobre o mar.
....
@Copyright by Rafael Rocha - Recife-PE

segunda-feira, 12 de março de 2012

POETAS

Quantos somos dentro das nostalgias
Ou das angústias dos sonhos irredentos
Que pelos lábios da mente escrevemos
Com símbolos e mil alegorias?
Havendo céu: Pássaros seremos.
Um deus voando sobre uma flor noturna
E um espírito chorando sob a chuva
De uma ária taciturna.

Quantos somos?... Não sei... Disse um poeta
Somos talvez um lago cristalino.
Um pântano rodeado de ninfetas.
Um espelho além do genuíno.
Ou ainda no enigma dos versos
Um pária errante dentro do céu errado.
Uma escória saída do Inferno.
Um Lúcifer enganado.

Quem somos?... Não sei... Quem sabe a vida
Escondida no zodíaco dos aedos?
Inconstantes, amantes e libertos
E possuídos pela coragem do medo?
Na verdade somos seres catastróficos.
Edifícios sem infra-estrutura.
Com a mesma tendência mitológica
Dos titãs caçadores de aventuras.
......
@Copyright by Rafael Rocha - Recife-PE

sexta-feira, 9 de março de 2012

RECIFE E OLINDA – TERRAS LIBERTÁRIAS

Existem dias em que precisamos falar de nossa casa, de nossa terra e de nossa gente. Neste espaço virtual muitas pessoas são brasileiras, estrangeiras e outras são nordestinas deste nosso grande país. Por que não lembrar a todos que vivemos em um espaço mais amplo de mundo? A data é preciosa para recordar e falar do Recife, a capital de Pernambuco, a metrópole do Nordeste, e da bela cidade de Olinda. Em 12 de março, ambas as cidades fazem anos. Olinda 477 e o Recife 475.

A cidade do Recife, capital de Pernambuco, representou e ainda representa o poder da criatividade e da aventura. Isso tanto no plano do desbravamento do espaço como no de produção intelectual. Essa produção intelectual chegou tardiamente, mas quando chegou foi potente e dinâmica, desde o surgimento do primeiro movimento intelectual com a Escola de Direito, que foi criada no ano de 1827, em Olinda, transportando-se depois para o Recife.

A maravilhosa Olinda, cantada em prosa e verso por tantos bardos, foi a primeira cidade pernambucana de grande relevo. Foi nela que Bento Teixeira lançou a sua Prosopopéia, no Século XVI, poema épico em homenagem ao capitão governador de Pernambuco, Jorge de Albuquerque Coelho. Também nesse poema, a cidade do Recife recebe sua primeira apresentação:
Um porto tão quieto e tão seguro / Que para as curvas naus serve de muro”.

Em Olinda se faz presente a arquitetura colonial portuguesa, muitas igrejas e tesouros sacros, conventos, mosteiros, e mais os imponentes sobrados e casarões senhoriais. Nesses casarões podem ser observados beirais de três águas, asas de andorinhas, janelas de guilhotinas e preciosas fachadas recobertas de azulejos de grande beleza. Olinda teve grande influência das três culturas que nela disseram presente: a européia, a africana e a indígena e hoje é considerada pela Unesco Cidade Patrimônio Cultural da Humanidade.

Olinda e Recife são cidades gêmeas e irmãs, ainda que tenham entrado em guerra no passado. A conhecida Guerra dos Mascates, entre 1710 e 1711. As lideranças de Olinda não aceitaram que o Recife ganhasse oficialmente a condição de vila e tentaram matar o governador Sebastião Caldas que conseguiu fugir para a Bahia, deixando Pernambuco sem governo e provocando graves confrontos de rua como a destruição do Pelourinho do Recife. Muitos choques ocorreram entre os habitantes das duas cidades, até a chegada do novo governador, Félix Machado, que apaziguou os ânimos, mas manteve o título de vila para o Recife, mesmo a contragosto dos olindenses.

No cenário da pátria brasileira o Recife se destacou como sede das três mais importantes revoluções libertárias da nossa História, todas ocorridas no século 19: a Revolução Republicana,em 1817; a Confederação do Equador, em 1824; e a Revolução Praieira, em 1848. A primeira é considerada como o único dos movimentos coloniais do Brasil que conseguiu passar da fase meramente conspiratória - ao contrário do que aconteceu com a Inconfidência Mineira (MG) e com a Revolta dos Alfaiates (BA). Já a segunda foi um movimento de caráter separatista, que incluiu ainda o Ceará, a Paraíba e o Rio Grande do Norte. Nessa revolução surgiu o maior mártir de Pernambuco, o Frei Caneca. Já a terceira foi o último movimento liberal e interno ocorrido no 2º Reinado do Brasil, revelando heróis urbanos e marcos históricos da luta dos liberais contra os conservadores, como a Rua da Praia.

As duas cidades estão em festa! Hoje, elas não mais guerreiam entre si para uma ter preponderância sobre a outra. Pelo contrário, crescem tanto em termos de população, nas condições socioeconômicas, como socioculturais. E eu, pernambucano, como muitos outros pernambucanos tenho orgulho de ter nascido no âmbito das duas cidades, de trazer para este espaço algo da história delas e de parabenizar pela passagem da data tanto os olindenses como os recifenses.

terça-feira, 6 de março de 2012

TODOS OS DIAS SÃO DIAS DAS MULHERES

Neste 8 de março saúdo as mulheres pela passagem do seu dia mais especial: o Dia Internacional da Mulher. Beijos, abraços e paz a todas aquelas que no mundo inteiro desempenham a vida e valorizam a cultura. Parabéns às lutadoras que buscam conquistar seus espaços no mundo. Caríssimas: é um grande privilégio compartilhar da companhia e da amizade de vocês e de saber das suas vitórias e participar dessas vitórias ao vosso lado.

Na realidade, todos os dias são dias de todas as mulheres. Não podemos e nem devemos ficar reféns de apenas uma data. Isso é apologia capitalista para vender presentes e encher os shoppings centers. As mulheres merecem ser lembradas e homenageadas durante todos os 365 dias do ano, durante as 24 horas do dia, a cada minuto e segundo de nossas vidas. Sejam elas as mais humildes mães, as mais ricas empresárias, as trabalhadoras, as donas de casa, mulheres que são companheiras, amantes e amigas de seus homens, tanto que fazem as 24 horas do dia tornarem-se cada vez mais preciosas ao darem objetivo ao sentido da vida.

Sabemos o quanto as mulheres movem o mundo desde priscas eras. Elas possuem uma equilibrada mescla de sensibilidade para alcançar a justiça, inclusive determinação e pragmatismo para atingir as metas que pretendem. Pelo que conhecemos até agora, as mulheres conseguem evitar que o mundo descambe definitivamente para o caos irreversível. Indo mais longe: são elas que estabelecem um ponto de equilíbrio nas relações humanas. É assim na sociedade e na família. São elas que arregaçam as mangas quando a situação exige ação urgente. São elas que estão sempre mais atentas para a necessidade dos outros, em casa ou fora de casa.

Assim, este 8 de março é um dia especial. Vale lembrar: no ano de 1857, em Nova Iorque, ocorreu a primeira greve liderada somente por mulheres. Operárias de uma fábrica de tecidos. Lutavam por melhores condições de trabalho, bons salários, tratamento digno. O resultado desse movimento foi a morte de 129 moças, carbonizadas dentro da fábrica, pela repressão capitalista. Mas o dia ficou marcado para sempre. As mulheres a partir dessa data começaram a lutar por reconhecimento e independência.

Em homenagem a essas 129 moças assassinadas na fábrica, decidiu-se, no ano de 1910, na Suécia, que o dia 8 de março passaria a ser o Dia Internacional da Mulher. A ONU só oficializou no ano de 1975. O objetivo maior desse dia não é somente o de homenagear e comemorar. É um dia especial para que possamos discutir e melhorar o papel humano na sociedade. Encontrar formas de acabar com o preconceito, a violência, o desprestígio e a desvalorização.

Camaradas, também vale assinalar aqui que o marco maior do Dia Internacional da Mulher aconteceu em 1917, ano da revolução bolchevique na Rússia, quando este país saiu oficialmente da Primeira Guerra Mundial destroçado e com pelo menos dois milhões de mortos, para tentar reconstruir-se. Nesse ano, as mulheres novamente optaram por celebrar seu dia e lutar pela paz no último domingo de fevereiro. Assim, as russas iniciaram uma greve geral por "pão e paz". Os líderes políticos do país posicionaram-se contra o movimento, alegando que era um péssimo momento para ele ocorrer. Mas elas seguiram adiante. A vitória do movimento feminista na Rússia ficou marcada na História e passou a ser referência no mundo inteiro. O domingo em questão caiu no dia 23 de fevereiro. Na época, o calendário russo era diferente do ocidental. O Ocidente vivia o 8 de março.

Muito antes de tudo que já citamos, na época da Revolução Francesa, outra mulher lutou pelos direitos femininos e terminou na guilhotina no dia 3 de novembro de 1793.Olympe de Gouges uma francesa feminista, revolucionária, jornalista, escritora e autora de peças de teatro. Foi uma defensora da democracia e dos direitos das mulheres. Na sua Declaração dos direitos das mulheres e da cidadã (em francês: Déclaration des droits de la femme et de la citoyenne) de setembro de 1791, ela desafiou a conduta injusta da autoridade masculina e da relação homem-mulher que expressou-se na Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão durante a Revolução Francesa.

Lembro aqui que nos tempos de hoje as mulheres são as lutadoras mais dinâmicas de nossa sociedade. No Brasil temos uma presidente. Um fato inédito em nossa história. Na Argentina, idem. E muitas outras mulheres, desde as revolucionárias operárias nova-iorquinas, seguindo ainda o rumo das soviéticas, continuam a lutar por melhores condições de vida. Assim, nada mais justo que prestar homenagem a elas, seres humanos e parte intensa do nosso cotidiano. E vale a pena perguntar: o que seria de nós, homens, sem as mulheres?

quinta-feira, 1 de março de 2012

MULHERES - AS PERPETUADORAS DA ESPÉCIE HUMANA

Colírio especial para os olhos. Assim assinalo este início de março. Dentro de alguns dias estaremos dando abraços e beijos nelas que são a nossa necessidade de vida: as mulheres! Como diria Vinicius: as feias que me perdoem, mas beleza é fundamental! Sigo essa máxima e vou mais longe ainda. Beleza junto com inteligência é mais fundamental ainda. Uma tem de se completar com a outra.

Mas a mulher bela pode não possuir neurônios que de uma forma ou de outra tem de ser homenageada e lembrada. Louras, morenas, ruivas, negras, amarelas, pardas, albinas, sararás, caboclas, mestiças todas. Se não fossem elas, o que seria da raça humana? Onde encontrar prazer e onde fazer a perpetuação da descendência? O que seria de nós, homens, se não existissem as mulheres?

Até que solicitaram a mim: escreva um poema para o dia delas que acontece em 8 de março. Um poema? Nada disso. A galhardia e a beleza feminina já são um poema ousado e especial. O verdadeiro poema vem delas mesmas com toda a picardia possível. A espécie humana tem de agradecer à deusa mulher. Se  a mulher não existisse nem quero pensar em como a existência seria vazia.